Curiosidades

Em 2011, a banda Public Enemy – de quem Rafa é absolutamente fã, daqueles ardorosos – veio para mais um show no Brasil. Rafael foi à coletiva de imprensa dos ídolos sem gravar para nenhum veículo, e fez perguntas a eles que não foram para nenhum lugar. No dia do show, os organizadores do evento deixaram Rafa assistir parte do espetáculo de cima do palco, ao lado da equipe técnica do Public Enemy. Lá pelas tantas, Flavor Flav, um dos vocalistas do grupo, viu Rafa e lembrou dele da coletiva. Flav o chamou ao centro do palco, Rafa dançou com Flav e o seríssimo Chuck D e, em seguida, abraçou Flavor Flav. Seguiu-se uma troca de “I Love You’s” entre os dois que só foi interrompida pelos seguranças da banda. Flavor Flav dizia aquilo por educação. Não era o caso de Rafa.



Rafael ia ser produtor do CQC. Ao menos, foi para esse cargo que ele foi chamado. Os diretores da produtora que trouxe o CQC ao Brasil tiveram acesso ao currículo do Rafa como produtor de TV – trampo que ele desenvolveu entre 1997 e 2000. O Rafa deu umas aumentadas no currículo, aquelas “floreadas” e, num dia de desespero profissional, mandou para várias produtoras e emissoras de SP. Quando o chamaram para uma entrevista de emprego no que seria o CQC, ninguém podia falar que projeto era aquele. O CQC estava em segredo de emissora. Uma amiga próxima “caguetou” ao Rafa no que ele ia se meter... ele viu vídeos do Caiga Quien Caiga argentino no Youtube e se apaixonou pela idéia de tentar algo novo. No dia seguinte, chegou à reunião de admissão e anunciou: “ou sou um dos repórteres do programa ou não quero mais nada”. O diretor geral, Diego Barredo, deu um voto de confiança. O Rafa fez um teste, depois outro... e o resto vocês já sabem. Só há um consenso na produção do programa hoje: todos estariam FERRADOS se o Rafael tivesse entrado como produtor.



Em 1995, para compensar uma bolsa que ganhou no Cursinho Objetivo, Rafael trabalhou na biblioteca do campus. Atendia alunos do colégio, do cursinho e da UNIP. Era responsável pela Hemeroteca, ou seja, por ler e selecionar tudo que se possa imaginar, em pastas, de um mesmo assunto – como política e cultura, por exemplo. O nome disso hoje é GOOGLE. Rafael e seus amigos de época foram alguns dos últimos profissionais que trabalhavam com pesquisa e recorte de jornal. O trabalho era chatíssimo. Para piorar, um dia, um dos seguranças do setor mostrou terríveis fotos de um desastre onde bombeiros, como aquele cara, trabalharam. Era o resgate dos corpos dos integrantes do Mamonas Assassinas.



Na Record, Rafael protagonizou uma sequencia falida de piadas ao participar do Amigo Secreto de Natal do programa Hoje em Dia. Na frente de todo elenco da emissora. As piadas foram tão zuadas que o programa não exibiu nenhuma. Melhor assim.



Rafa já interpretou um adolescente possuído por um espírito em um programa trash de TV. Ele virava os olhos, babava e dizia coisas sem nexo. As imagens estão no cofre que Rafa possui em sua casa.

Instagram

  • Rafael Cortez - Todos os direitos reservados
  • Projetteria Entertainment
  • Dromedário Produtora
  • Tuagência Comunicações